Sem retorno não há comunicação

"Em muitas de minhas pesquisas e experiências, que se revelaram um verdadeiro sucesso, tive de esperar em vão qualquer tipo de retorno que pudesse ajudar o processo de rapidez do meu trabalho.

É impressionante como o ser humano não se importa em responder às suas cartas e questionamentos enquanto você não é uma pessoa reconhecida e famosa".

 

Thomas Edison (1847-1931), inventor e físico norte-americano, com mais de mil patentes registradas, entre elas a do fonógrafo e a da lâmpada incandescente. "Em muitas de minhas pesquisas e experiências, que se revelaram um verdadeiro sucesso, tive de esperar em vão qualquer tipo de retorno que pudesse ajudar o processo de rapidez do meu trabalho. 

É impressionante como o ser humano não se importa em responder às suas cartas e questionamentos enquanto você não é uma pessoa reconhecida e famosa".

Tá certo que esta afirmação faz muito tempo e alguns mecanismos virtuais ajudaram a diminuir esta falta de resposta dentro e fora as organizações. Mas é importante destacar que a comunicação, antes de ser instrumental, é humana. Necessitamos e precisamos de resposta, pois a mensagem sem retorno é uma comunicação falha e incompleta. Infelizmente, de um modo geral, é a comunicação formal e burocrática que as empresas mais utilizam no seu cotidiano. Há uma grande preocupação com a eficácia dos mecanismos de transmissão da mensagem e não, propriamente, com a reflexão e a compreensão do seu conteúdo. Dessa forma, fica difícil motivar pessoas e equipes para superar desafios e alcançar metas.

 

Minha experiência mostra que ao pesquisarmos o conhecimento e o entendimento real dos destinatários, sobre as informações veiculadas dentro da empresa, verificamos que o nível de desconhecimento é bem maior do que imaginamos. Vi casos de colaboradores que desconhecem até mesmo as nomenclaturas e os objetivos dos principais projetos e processos da sua área de atuação na empresa. A mistura de canais enfraquecidos e ultrapassados com a falta do "hábito de procurar as informações" pelo colaborador está diretamente relacionadas à cultura da empresa, que não incentiva a troca de ideias e o compartilhamento de informações entre os seus funcionários.

 

Tantas são as ferramentas de informação oficiais e oficiosas, que em alguns casos nem sabemos identificar qual o objetivo específico da sua existência ou, tampouco, avaliar se elas são eficazes. A falta de retorno, e do contato pessoa a pessoa, acaba gerando erros e falhas de comunicação que compromete o processo de comunicação interna. 

 

Nenhuma tecnologia, por mais sofisticada que seja, envolvendo todo o rigor científico, supre as deficiências no relacionamento humano, geradas muitas vezes por culturas que não privilegiam a abertura para o diálogo e a conversação. Não adianta e-mails, intranet, whatsapp etc. Sem feedback e contato humano a comunicação é sempre precária, ineficaz e fria. 

 

O feedback é um processo que promove mudanças de atitudes, comportamentos e pensamentos. É a realimentação da comunicação a uma pessoa ou grupo, no sentido de fornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas ou situações.

 

O sucesso máximo numa situação de feedback ocorre no momento em que ao dar feedback para você, eu me torno consciente de que ele também é útil para mim. Como falou nossa grande poetisa goiana Cora Coralina, "feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina".

 

Abraços,

Fábio Di Renzo 

  • Facebook ícone social